sexta-feira, 3 de abril de 2009

Venha baby e acenda meu fogo

No próximo dia 20/04 The Doors se apresentará em Ribeirão Preto (isso mesmo, a "Cidade do Agronegócio", "Terra do chopp", enfim você pode apelidar de como quiser. Eu prefiro chamar de "Fazenda com poste" ou "Fazenda Iluminada"). Bom, críticas à parte, voltando aos Doors. Como assim? Doors sem Jim Morrison???? Hum, será? Não, não, não, não.... Acho que não dá, não rola!
Não que eu seja ultra purista e conservadora, mas algumas coisas são boas porque passaram e não precisam voltar, ficam para a eternidade, mesmo que tenham durado pouco. Acho que para The Doors isso caberia bem, assim como para os Mutantes. Se tiramos um componente (seja uma pessoa, ou uma época) já não funciona mais. Jim Morrison (apesar de poser) é a essência dos Doors. E ght My Fire sem ele? Não imagino, e você? Lembro-me de uma frase em um filme "Cada um deve enterrar seus mortos" Esse já foi enterrado, para que ressucitá-lo?

Em homenagem ao Jim que não estará presente no dia 20/04, selecionei um famoso ensaio que acho sensacional e mostra todo jeito poser de ser.







Um comentário:

Charles disse...

Ah, Patricia Kiss! Você é muito purista!
Acho que os Doors funcionariam muito bem se o vocalista fosse, por exemplo, o Netinho.
E o Queen, então? Basta colocar alguém do quilate do Daniel (o cabeção sertanejo) que fica tudo perfeito...
Bem, como você mesma disse, shows desse tipo são sintomáticos de uma região (e também do nosso país). Quem for assistir a um trambolho desse, com o perdão do trocadilho infame, é mesmo uma PORTA.
Beijos